Data: 30/06/2019

Depois de milhões de anos de fossilização, as penas desaparecem mas os pigmentos de melanina, chamados melanossomas, podem ser preservados. Até agora, o problema tem sido conseguir identificar separadamente os tons negros, acastanhados, cinzas e azulados. Mas agora, de acordo com o Science Alert, especialistas foram capazes de perceber essa diferença relativamente à espécie Eocoracias brachyptera.

Notícia proveniente de fonte externa

Cientistas encontraram pela primeira vez a cor azul em penas fossilizadas

Partilhe esta Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Créditos da Notícia

Outros Conteúdos