fbpx

Data: 08/12/2020

Na Guiné-Bissau, foram encontrados os cadáveres de mais de 2.000 abutres de capuz, grande parte decapitados, depois de envenenados com o insecticida letal metiocarbe, proíbido na Europa. O biólogo luso-guineense Mohamed Henriques, doutorando no Centro de Estudos do Ambiente e do Mar da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, publicou em outubro na revista Science, o primeiro artigo, revelando as causas da morte destes abutres, o que a nível mundial representa o desaparecimento de mais de 1% desta espécie em extinção.

Notícia proveniente de fonte externa

Guiné-Bissau: mais de 2000 abutres envenados para rituais de feitiçaria

Partilhe esta Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Créditos da Notícia

Outros Conteúdos