fbpx

Data: 10/05/2021

Uma ave que levanta voo na Guiné-Bissau, rodeada de mangais, palmeiras e habituada a temperaturas na ordem dos 30 graus, e aterra passados seis dias na Islândia, onde a paisagem está ainda coberta por neve e gelo e a temperatura máxima ao meio-dia não passa dos 10 graus, é uma ave verdadeiramente de dois mundos!

Por José Alves e José Granadeiro, no Dia Mundial das Aves Migradoras (10 de maio) *

Em Portugal ocorrem muitas dezenas de espécies com comportamento migratório, desde os pequenos passeriformes (p.e. as andorinhas), aves planadoras (como as aves de rapina e as cegonhas) e muitas aves aquáticas (patos, limícolas) e marinhas (p.e. alcatraz, cagarras). Muitas destas espécies percorrem grandes distâncias, atravessando hemisférios e nessas viagens cruzando zonas com características físicas e ecológicas muito distintas. Dia 8 de maio celebra-se o Dia Mundial das Aves Migradoras e, nesta época do ano, milhares de aves deslocam-se para os seus locais de reprodução no hemisfério norte, muitas delas tendo passado a época não reprodutora a vários milhares de quilómetros de distância.

Notícia proveniente de fonte externa

Aves de dois mundos, no Dia Mundial das Aves Migradoras

Partilhe esta Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Créditos da Notícia

Outros Conteúdos