Site logo

Data: 10/05/2021

Uma ave que levanta voo na Guiné-Bissau, rodeada de mangais, palmeiras e habituada a temperaturas na ordem dos 30 graus, e aterra passados seis dias na Islândia, onde a paisagem está ainda coberta por neve e gelo e a temperatura máxima ao meio-dia não passa dos 10 graus, é uma ave verdadeiramente de dois mundos!

Por José Alves e José Granadeiro, no Dia Mundial das Aves Migradoras (10 de maio) *

Em Portugal ocorrem muitas dezenas de espécies com comportamento migratório, desde os pequenos passeriformes (p.e. as andorinhas), aves planadoras (como as aves de rapina e as cegonhas) e muitas aves aquáticas (patos, limícolas) e marinhas (p.e. alcatraz, cagarras). Muitas destas espécies percorrem grandes distâncias, atravessando hemisférios e nessas viagens cruzando zonas com características físicas e ecológicas muito distintas. Dia 8 de maio celebra-se o Dia Mundial das Aves Migradoras e, nesta época do ano, milhares de aves deslocam-se para os seus locais de reprodução no hemisfério norte, muitas delas tendo passado a época não reprodutora a vários milhares de quilómetros de distância.

Notícia proveniente de fonte externa

Aves de dois mundos, no Dia Mundial das Aves Migradoras

Partilhe esta Notícia

Créditos da Notícia

Outros Conteúdos