fbpx

Data: 21/12/2021

Em 2022 o esforço dará prioridade a 7 espécies: cegonha-preta, britango, grifo, abutre-negro, águia de Bonelli, águia-real e falcão-peregrino.

O ICNF e a Junta de Castilla y Leon retomaram agora as reuniões de trabalho, interrompidas pela pandemia, e celebram 25 anos de parceria.

Em Portugal têm presença regular mais de 30 espécies de aves rupícolas, sendo o Parque Natural do Douro Internacional considerado o seu principal santuário. Espécies, estritamente rupícolas, como águia-real, grifo, britango, falcão-peregrino, gralha-de-bico-vermelho e andorinhão-real, têm densidades de nidificação muito elevadas nos alcantilados fluviais do Douro e afluentes. Os efetivos dessas e doutras espécies assumem números ainda mais relevantes se adicionarmos a área espanhola homóloga, o Parque Natural de Arribes del Duero.

Por serem o grupo faunístico mais emblemático dos dois Parques Naturais, (ainda antes da criação dos Parques, já tinha sido iniciado, em 1995, um programa conjunto de monitorização), e para acompanhar a época de nidificação, os trabalhos de campo terão início em fevereiro, com conclusão prevista para setembro, envolvendo cerca de 30 funcionários, entre técnicos, Vigilantes da Natureza e Agentes Medioambientales.

Notícia proveniente de fonte externa

Monitorização das aves rupícolas nos Parques Naturais do Douro Internacional e de Arribes del Duero

Partilhe esta Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Créditos da Notícia

Outros Conteúdos