Site logo

Data: 06/05/2024

50 disparos em apenas 2 segundos e nenhuma dúvida sobre a fotografia mais poderosa. O Rui Pereira dá-nos a história por trás deste frente a frente com uma ave cada vez mais rara no nosso país.

Quando vimos a mais recente fotografia de natureza do Rui Pereira soubemos imediatamente que tínhamos de o convidar a regressar à nossa rubrica Como fiz esta fotografia. O Rui aceitou contar-nos como se proporcionou este fabuloso encontro de olhares entre homem e ave.

Texto e fotografia por Rui Pereira

O tartaranhão-caçador é uma ave icónica das searas, nomeadamente do Baixo Alentejo e Trás-os-Montes. A sua população por toda a Europa tem vindo a decrescer, sendo que em Portugal os mais recentes dados (segundo um estudo CIBIO) apontam para um decréscimo de cerca de 80% nos últimos 10 anos.

Fotografar estas aves, requer uma elevada dose de paciência e um bom conhecimento dos seus comportamentos. Nesta altura do ano, o da nidificação, não é aconselhável aproximarmo-nos das aves, sendo que o melhor método é o da espera, escondido, num lugar que se defina. E foi assim que esta foto foi tirada. Em espera (várias horas), escondido e pouco confortável… mas que, desta vez, compensou!

Notícia proveniente de fonte externa

Olhos nos olhos com um tartaranhão-caçador em pleno voo

Partilhe esta Notícia

Créditos da Notícia

Outros Conteúdos